terça-feira, 9 de outubro de 2007

Planeta Terror: um (muito) bom filme xunga!

Sejamos claros: À Prova de Morte é, desde já, um dos melhores filmes do ano com certeza. O génio de Quentin Tarantino, naqueles diálogos que, no mínimo, arrepiam, está todo lá, mais as brilhantes interpretações arrancadas a actrizes que até aqui passavam bem despercebidas. Uma homenagem sincera aos filmes que homenageia, no fundo, À Prova de Morte, acaba por parecer uma carta de amor aos filmes série-B, muito populares nos anos 70. Planeta Terror, estreado semana passada no cinema, e com realização de Robert Rodriquez, acaba por ser perfeito para a primeira parte da tal carta de amor. Eu explico: aqui não há (previsivelmente) diálogos muito rebuscados, mas sim um divertimento descomunal (no bom sentido!) que só pode vir de alguém que tem muito amor a estes filmes grindhouse. Rodriguez fê-lo por instinto, digamos assim, não quis inovar ou recriar, melhorar, nada disso! Fez um filme xunga que não é xunga. Ora e os clichés estão todos lá: uma experiência bioquímica corre mal e espalha uma nuvem verde que zombifica todos os que se lhe aproximem. Mas ao contrário de um certo e determinado aclamado filme começado por T, este diverte como o caraças! O casal de médicos é hipnotizante, Rose McGowan brilhante naquela já brilhante ideia da perna-metralhadora, os fotogramas estragados têm efeitos mais que homenagear, o final é dos melhores do género. Grindhouse em completo ainda me é desconhecido (faltam os aclamados trailer’s falsos), mas conhecendo-lhe já as principais partes, prevê-se o sentimento de ver estes dois grandes filmes juntos que encaixam como mãe e filho. Robert Rodriguez já fez sem intenção muita mediocridade, mas quando se trata de a fazer intencionalmente, aí sim, saem bons filmes xunga.

Classificação (Planeta Terror; À Prova de Morte):

2 comentários:

floccinaucinihilipilification disse...

adorei essa indirecta final ao spy kids! Eheh! Por acaso já ouvi porque é que nesses filmes antigamente faltavam os fotogramas! Estes filmes passavam por vários cinemas, e então cada um roubava o seu bocadinho de filme, normalmente as partes mais picantes, portanto um filme podia começar com 120 minutos e alguns meses depois ficar com menos meia hora!
Já ouvi dizer que o Robert Rodriguez pretende fazer um filme de um desses trailers, o Machete! Isso sim gostava de ver! :D

Frequência Jovem disse...

É verdade sim senhor, Rodriguez, ao que tudo indica, irá fazer o Machete! A julgar pelo trailer, pode sair mais um bom filme xunga!