domingo, 6 de janeiro de 2008

As nossas escolhas - cinema

Já foram reveladas as nossas escolhas no último programa do Frequência Jovem, fica agora no blog mais uma nota em relação a este cliché de final do ano. São portanto estas as nossas escolhas cinematográficas de 2007 (não os anunciamos como os melhores porque, para além de subjectivo, seria obrigatório um visionamento de todos os filmes que passaram nos cinemas nesse ano - missão impossível!).

10 - Assalto e Intromissão de Anthony Minghella
Estreou (bastante) despercebido em Janeiro o trabalho do premiado realizador Anthony Minghella. É um melodrama muito curioso que ressalta as eternas relações humanas de uma forma profunda, realista e sedutora. É também um filme sobre a solidão na sociedade actual (vale referir que se passa em Londres) e sobre segundas oportunidades. Especialmente sobre segundas oportunidades. Atrevo-me a dizer: de longe melhor que o aclamado Cold Mountain!

9 - Hairspray de Adam Shankman
É cliché e estereotipado. Fala de racismo de forma superficial... e ainda assim fica num honroso nono lugar nesta lista dos melhores de 2007! É verdade que o ano cinematográfico não foi esplendoroso, mas deixemo-nos de preconceitos e admitamos: Hairspray tem pinta! Um musical cheio de energia e boa-disposição que, de forma despretensiosa, acaba por ser uma das melhores propostas no campo dos últimos tempos. Dreamgirls, por exemplo, não teve essa sorte...mas lá diz o povo "quanto maior a subida, maior a queda"!

8 - Ratatui de Brad Bird e Jan Pinkava

A verdade é que Ratatui não é para mim a obra-prima aclamada pela crítica especializada, mas é sem sombra de dúvida o melhor filme de animação do ano e um dos melhores argumentos do campo da animação. Ao associar o indissociável (ratos e cozinha), no meio de humor e a ternura própria dos filmes da Disney, Ratatui torna-se uma irrecusável proposta...

7- Gangster Americano de Ridley Scott

É possivelmente o único filme desta lista que tem fortes probabilidades de estar presente na principal categoria da próxima cerimónia dos Óscares. E convenhamos: tem aparato para isso. Ridley Scott é um veterano nestas andanças, o filme é recheado de grandes interpretações (destaque para Denzel Washington) e, mesmo sendo violento, é o chamado "filme bonito"! Não há nada de novo, é certo, mas é um dos melhores "filmes bonitos" já feitos...

6- Cartas de Iwo Jima de Clint Eastwood


Este projecto é logo interessante pela premissa: olhar para a mesma batalha segundo dois prismas, o lado americano e o lado japonês. O primeiro olhar deu-nos o já jeitoso filme As bandeiras dos nossos pais, chegou-nos mais tarde esta pérola Cartas de Iwo Jima! É Clint Eastwood a provar porque é considerado um dos maiores realizadores vivos...

5- O Labirinto do Fauno de Guillermo del Toro

O labirinto do Fauno prima sobretudo pelo argumento genial e pelo cruzamento entre a realidade e a fantasia. É um conto de fadas para adultos, extremamente bem trabalhado e interpretado, com algumas das melhores criações da fantasia moderna (exemplo da imagem) e um final que nos deixa completamente rendidos ao filme. Obrigatório!

4- Promessas Perigosas de David Cronenberg

É a obra que me vai fazer rever David Cronenberg. Uma história de violência era para mim (só e apenas) um bom filme, já este Promessas Perigosas é um deslumbrante trabalho que mostra sem artifícios (coisa rara no cinema!) o mundo da máfia Russa. A química entre Viggo Mortensen e Naomi Watts é única, num filme que se pode gabar de não ter rótulos. Alguém que se atreva a dizer que isto é um "filme de acção"...

3- Planeta Terror de Robert Rodriguez

É possivelmente o melhor filme xunga de todos os tempos e consegue uma proesa rara: um GRANDE filme de entretenimento... e de zombies! A provar que o género não estava gasto e que Robert Rodriguez é um realizador a destacar! Rose McGowan está brilhante, e a sua perna - metralhadora é já um ícone no cinema! Para ver e rever sozinho e com os amigos!

2- À Prova de Morte de Quentin Tarantino

À prova de morte é Quentin Tarantino... e é genial (será uma redundância?!). Diálogos inesquecíveis, interpretações primorosas e acção pura e crua. Serve também como um óptimo complemento para Planeta Terror, nesse projecto (ainda não visto para estes lados) chamado Grindhouse! O melhor filme do ano para os visitantes do Frequência Jovem.

1- Zodiac de David Fincher

Infelizmente esquecido nas nomeações dos Globos de Ouros, possivelmente esquecido nos Óscares. Quanto a mim, Zodiac é genial do ínicio ao fim e um dos filmes mais arrepiantes dos últimos tempos. O melhor de David Fincher (sim, melhor que Seven!) e um filme em que os protagonistas somos nós! Entramos dentro do filme, e sentimos realmente medo!Isto sim é cinema...

2 comentários:

telma disse...

Desta lista os que mais gostei foram o Zodiac e o Labirinto do Fauno (e tenho a certeza que se tivesse visto o Death Proof estaria nos melhores :D.)
tal como dizes o Zodiac, é um filme muito muito bom! Eu tava a ver sozinha a noite e houve uma altura em que estava realmente cheia de medo e dei por mim a respirar bem fundo e sentir mesmo aquilo.. achei brilhante! O Labirinto del Fauno, quase nem há palavras.. é magnifico!

Vítor disse...

txih!já há tempos k num vinha cá! =P
apesar de não os ter visto a todos, concordo com o vencedor! :) grande filme!
talvez me pareça que o ratatui pudesse ficar em melhor posição...mas como não vi o 6º e o 5º não posso falar, mas gostei mesmo muito do filme!akela ratazana cativou-me!!! hihi!