sábado, 13 de outubro de 2007

Al Gore e o Nobel da Paz!

São poucas as vozes concordantes (pelo menos no mundo da blogosfera) à atribuição deste prémio ao ex vice-presidente dos Estados Unidos, principalmente pela confusão que pode gerar o nome do Nobel: PAZ! Diz-se que se deveria atribuir o prémio a alguém que tem lutado contra a guerra, a fome ou a discriminação! Mas o ambiente não é também um assunto urgente a ser resolvido?! Ou a paz é só e apenas um antónimo de guerra?! As questões ficam no ar, e as respostas não serão mais clarificadoras para o caso. A atribuição do prémio não é assim tão simples (!). Por um lado, não vejo em Al Gore o verdadeiro sentido de sacrifício, como por exemplo o víamos, no seu expoente máximo, em Madre Teresa de Calcutá. Comparações ínúteis à parte, a verdade é que Al Gore ganha balúrdios inimagináveis com esta questão do ambiente.... lembro-me que quando veio a Portugal dar mais uma das enésimas conferências que deu, falou-se em qualquer coisa como 135 mil euros por hora e meia. Ora é isto que, para mim, é verdadeiramente revoltante. Afinal, se ele se preocupa tanto com o ambiente, dando até com (muito) sensasionalismo o ar de urgência planetária à questão, então não deveria ser esta a sua postura com certeza. Há um aproveitamento da questão para benefício próprio, que descredibiliza ( e muito) aquilo que diz. Já para não falar das contas de electricidade avultadas que vieram a público, que só mostram que o seu lema é "olha para o que eu digo, mas não olhes para o que eu faço". E assim o prémio é uma tremenda injustiça, até porque existem outros nomes que gratuitamente e com muito sacríficio e empenho se debatem sobre questões urgentes a serem resolvidas. O problema, portanto, para mim, não está no facto da questão ser do ambiente, mas na conduta imprópria de Al Gore. Mas surge outro problema: até que ponto os fins, neste caso, não justificam os meios?! Ou seja, ainda que o prémio, a clamarmos verdade, não seja justo, não será importante atribui-lo para novamente se falar da (urgente) questão, para dar mais ênfase ao problema?! E a ser verdade ele aproveitar a "onda" para concorrer à Casa Branca, não será também importante um presidente que ponha fim à indiferença dos Estados Unidos pelo ambiente?! Muitas perguntas, mas as respostas, penso eu, melhor o tempo as dirá...
Do lado direito, a pergunta impõe-se: justo ou não este prémio de Al Gore?!

1 comentário:

floccinaucinihilipilification disse...

Resposta à pergunta: Não!
Primeiro, por isso mesmo da hipocrisia que falaste.
Depois, e se realmente a intenção fosse atribuir pelo lado de alerta ecológica, porque não atribui-lo ao Greenpeace?! Faz mil vezes mais sentido pois eles sim têm lutado pelo planeta, não só na questão ambiental, mas no geral!
Acho que há maneiras melhores de se fazer campanha para presidente dos EUA. Eu não digo que ele não se preocupe com o ambiente, mas que o alarmismo dele parece suspeito, parece!
Esperemos que essa grande amálgama de sabedoria chamada tempo dite as respostas! ;)