segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Radiohead - In Rainbows

É incomunicável o que sentimos ao ouvir Radiohead, é-o também quando, depois de, por exemplo, Nude ou House of Cards nós pensamos: “caraças, então o Thom Yorke e companhia dá-me isto e, vá lá, nem um tostãozinho de simpatia?!” Ora, por paradoxal que possa parecer, é quando nada nos pedem que mais vontade nós temos de dar. Saberão já vocês que In Rainbows, o sétimo álbum de originais do grupo inglês, saiu direitinho para esse inesgotável mundo que é a Internet e nós, de forma aprovada pela lei, podemo-lo sacar (esta palavra soa tão mal neste contexto) de forma gratuita! O atrevimento é louvável, e será seguido por muitos (nalguns compensará, noutros revelar-se-á infrutífero). Mas sejamos sinceros: chega de preços elevados que só pagam a publicidade e enchem os bolsos daqueles que pouco ou nada contribuíram para a música. E o que merece recompensa são esses sentimentos incomunicáveis que nos assolam ao ouvir (e não me canso de o dizer) Nude. Mas todo o álbum é alegria, mas tristeza, reflexão e paz, calmante com adrenalina saudável. E, no fundo, só quem o ouve poderá saber o que é In Rainbows e o que são os Radiohead. Ainda assim, insuperável Ok Computer...

3 comentários:

Cláudia Ribeiro disse...

Fico com arrepios na espinha quando ouço a 'videotape' :D

Cláudia Ribeiro disse...

Fico com arrepios na espinha quando ouço a 'videotape' :D

Frequência Jovem disse...

E é impossível não ficar...!